Rita Cruz

Licenciada em Teatro-Actores pela ESTC e em Reabilitação e Inserção Social pelo ISPA.

É co-fundadora da companhia Teatro do Eléctrico.

Trabalha regularmente nas produções do Teatro do Eléctrico desde 2008 como atriz e com encenação de Ricardo Neves-Neves. Em 2015 escreve e encena Mãe com Açúcar ,produção do Teatro do Eléctrico.

Já foi dirigida também por Joaquim Benite, João Mota, João Brites, António Pires, Claúdio Hochman, Pedro Alvares Osório (Espanha), Toni Cafiero (Itália) Martim Pedroso, entre outros.

Em 2016 é nomeada para melhor atriz pelos Prémios SPA e para melhor espectáculo de Teatro com o espectáculo A Noite da Dona Luciana de Copi, produção do Teatro do Eléctrico. Ainda no mesmo ano ganha o prémio de melhor atriz de televisão pelos Prémios África is More.

Em 2014, O espectáculo Menos Emergências, em que participa como atriz é nomeado para melhor espectáculo de Teatro pela TIMEOUT.

Em 2005 é nomeada com Othelo, pela Companhia de Teatro de Almada para melhor espectáulo de Teatro de 2005 pelos Globos de Ouro.

Em 2007 participa na Bienal de Veneza com Goldoni Terminus, espectáculo representado em italiano , de Rui Zink, Eduardo Erba, encenado por Toni Cafiero, Produção de TNDMII, Teatro Nacional de Fiume-Croacia e Teatro Stabile, tendo participado em festivais de Teatro em Itália , Croácia e Portugal.

Em 2006 participa em O Olhar do Outro, um espectáculo representado em portugês e espanhol, com encenação de Pedro Alvares Osório pela Escola de Mulheres.

Em Em televisão integra as séries  Amar Depois De Amar – Série Plural/TVI; Erro 404, de Patrícia Sequeira, Santa Rita; O Eterno Debate, de Teresa Coutinho, RTP2; Breviário Biltre, RTP1-Produções Fictícias e as telenovelas Flor sem Tempo, SP/SIC; Queridos Papás, Plura/TVI; A Serra, SP/SIC; A Herdeira, Plural/TVI; A Impostora, Plural/TVI; A Única Mulher, Plural/TVI; Depois do Adeus, RTP1; Dancing Days SP/SIC; O Amor é um Sonho Plural/TVI; A Outra, Plural/TVI, entre outras.

Integra como atriz nos programas de entertainment  a Meia Noite (RTP2), Boa Noite Alvim (Sic Radical), 

Em cinema participa no filme Bia, de Patrícia Vidal Delgado, Planeta Adormecido, RTP, na Verdade Escondida – Homenagem a Manoel de Oliveira de João Viana, A Tigela – Prémio do Público – Estoril Film Festival de Tiago Pires.

Rita Cruz

Licenciada em Teatro-Actores pela ESTC e em Reabilitação e Inserção Social pelo ISPA.

É co-fundadora da companhia Teatro do Eléctrico.

Trabalha regularmente nas produções do Teatro do Eléctrico desde 2008 como atriz e com encenação de Ricardo Neves-Neves. Em 2015 escreve e encena Mãe com Açúcar ,produção do Teatro do Eléctrico.

Já foi dirigida também por Joaquim Benite, João Mota, João Brites, António Pires, Claúdio Hochman, Pedro Alvares Osório (Espanha), Toni Cafiero (Itália) Martim Pedroso, entre outros.

Em 2016 é nomeada para melhor atriz pelos Prémios SPA e para melhor espectáculo de Teatro com o espectáculo A Noite da Dona Luciana de Copi, produção do Teatro do Eléctrico. Ainda no mesmo ano ganha o prémio de melhor atriz de televisão pelos Prémios África is More.

Em 2014, O espectáculo Menos Emergências, em que participa como atriz é nomeado para melhor espectáculo de Teatro pela TIMEOUT.

Em 2005 é nomeada com Othelo, pela Companhia de Teatro de Almada para melhor espectáulo de Teatro de 2005 pelos Globos de Ouro.

Em 2007 participa na Bienal de Veneza com Goldoni Terminus, espectáculo representado em italiano , de Rui Zink, Eduardo Erba, encenado por Toni Cafiero, Produção de TNDMII, Teatro Nacional de Fiume-Croacia e Teatro Stabile, tendo participado em festivais de Teatro em Itália , Croácia e Portugal.

Em 2006 participa em O Olhar do Outro, um espectáculo representado em portugês e espanhol, com encenação de Pedro Alvares Osório pela Escola de Mulheres.

Em Em televisão integra as séries  Amar Depois De Amar – Série Plural/TVI; Erro 404, de Patrícia Sequeira, Santa Rita; O Eterno Debate, de Teresa Coutinho, RTP2; Breviário Biltre, RTP1-Produções Fictícias e as telenovelas Flor sem Tempo, SP/SIC; Queridos Papás, Plura/TVI; A Serra, SP/SIC; A Herdeira, Plural/TVI; A Impostora, Plural/TVI; A Única Mulher, Plural/TVI; Depois do Adeus, RTP1; Dancing Days SP/SIC; O Amor é um Sonho Plural/TVI; A Outra, Plural/TVI, entre outras.

Integra como atriz nos programas de entertainment  a Meia Noite (RTP2), Boa Noite Alvim (Sic Radical), 

Em cinema participa no filme Bia, de Patrícia Vidal Delgado, Planeta Adormecido, RTP, na Verdade Escondida – Homenagem a Manoel de Oliveira de João Viana, A Tigela – Prémio do Público – Estoril Film Festival de Tiago Pires.