Juan Barros

Mário Cunha nasceu em Lisboa, em 1971. Estudou Ciências Musicais e foi músico profissional, mas depressa divergiu para a escrita. Jornalista durante dez anos, ainda experimentou o sonho de ser livreiro no Alentejo, mas não demorou a perceber que há sonhos que só são bons enquanto não se realizam. Não esmoreceu e substituiu-os por outros. Estudou Argumento com Christopher Vogler, Robert Mckee, Guy Meredith, Pilar Alessandra e Jorge Paixão da Costa, entre outros, tendo-se estabelecido como argumentista, profissão que exerce regularmente desde 2005. É autor ou coautor de duas dezenas de projetos de ficção audiovisual produzidos em Portugal e transmitidos nas três grandes estações nacionais. Escreveu séries e telenovelas, publicidade, duas peças de teatro levadas a cena e publicou um romance e três livros juvenis, além de pequenas ficções em revistas literárias e artigos musicológicos. Atualmente mantém uma colaboração com a Ukbar Filmes enquanto coordenador de argumento e, ao mesmo tempo, desenvolve projetos próprios de ficção e ensina Guionismo na World Academy. Enquanto argumentista, venceu alguns prémios nacionais e internacionais: em 2010, foi co-autor e coordenador de argumento da série “Cidade Despida”, vencedora do International Film and Tv Festival, em Moscovo, na categoria de Best Detective Television Series; em 2011 recebeu um Emmy na categoria de Melhor Telenovela, enquanto co-autor de “Laços de Sangue”; em 2016 adaptou para Portugal a série “Terapia”, a qual venceu o prémio Melhor Programa de Ficção da Sociedade Portuguesa de Autores no ano seguinte. Nunca esqueceu a música e há dois anos reencontrou o sonho sempre adiado de estudar piano no Hot Clube de Portugal. Ainda por lá anda.

Juan Barros

Mário Cunha nasceu em Lisboa, em 1971. Estudou Ciências Musicais e foi músico profissional, mas depressa divergiu para a escrita. Jornalista durante dez anos, ainda experimentou o sonho de ser livreiro no Alentejo, mas não demorou a perceber que há sonhos que só são bons enquanto não se realizam. Não esmoreceu e substituiu-os por outros. Estudou Argumento com Christopher Vogler, Robert Mckee, Guy Meredith, Pilar Alessandra e Jorge Paixão da Costa, entre outros, tendo-se estabelecido como argumentista, profissão que exerce regularmente desde 2005. É autor ou coautor de duas dezenas de projetos de ficção audiovisual produzidos em Portugal e transmitidos nas três grandes estações nacionais. Escreveu séries e telenovelas, publicidade, duas peças de teatro levadas a cena e publicou um romance e três livros juvenis, além de pequenas ficções em revistas literárias e artigos musicológicos. Atualmente mantém uma colaboração com a Ukbar Filmes enquanto coordenador de argumento e, ao mesmo tempo, desenvolve projetos próprios de ficção e ensina Guionismo na World Academy. Enquanto argumentista, venceu alguns prémios nacionais e internacionais: em 2010, foi co-autor e coordenador de argumento da série “Cidade Despida”, vencedora do International Film and Tv Festival, em Moscovo, na categoria de Best Detective Television Series; em 2011 recebeu um Emmy na categoria de Melhor Telenovela, enquanto co-autor de “Laços de Sangue”; em 2016 adaptou para Portugal a série “Terapia”, a qual venceu o prémio Melhor Programa de Ficção da Sociedade Portuguesa de Autores no ano seguinte. Nunca esqueceu a música e há dois anos reencontrou o sonho sempre adiado de estudar piano no Hot Clube de Portugal. Ainda por lá anda.

FILMOGRAFIA

Bem me Quer

Prisioneira

A Teia

A Herdeira

A Única Mulher