Mario Cunha

Mário Cunha nasceu em Lisboa, em 1971. Estudou Ciências Musicais e foi músico profissional, mas depressa divergiu para a escrita. Jornalista durante dez anos, ainda experimentou o sonho de ser livreiro no Alentejo, mas não demorou a perceber que há sonhos que só são bons enquanto não se realizam. Não esmoreceu e substituiu-os por outros. Estudou Argumento com Christopher Vogler, Robert Mckee, Guy Meredith, Pilar Alessandra e Jorge Paixão da Costa, entre outros, tendo-se estabelecido como argumentista, profissão que exerce regularmente desde 2005. É autor ou coautor de duas dezenas de projetos de ficção audiovisual produzidos em Portugal e transmitidos nas três grandes estações nacionais. Escreveu séries e telenovelas, publicidade, duas peças de teatro levadas a cena e publicou um romance e três livros juvenis, além de pequenas ficções em revistas literárias e artigos musicológicos. Atualmente mantém uma colaboração com a Ukbar Filmes enquanto coordenador de argumento e, ao mesmo tempo, desenvolve projetos próprios de ficção e ensina Guionismo na World Academy. Enquanto argumentista, venceu alguns prémios nacionais e internacionais: em 2010, foi co-autor e coordenador de argumento da série “Cidade Despida”, vencedora do International Film and Tv Festival, em Moscovo, na categoria de Best Detective Television Series; em 2011 recebeu um Emmy na categoria de Melhor Telenovela, enquanto co-autor de “Laços de Sangue”; em 2016 adaptou para Portugal a série “Terapia”, a qual venceu o prémio Melhor Programa de Ficção da Sociedade Portuguesa de Autores no ano seguinte. Nunca esqueceu a música e há dois anos reencontrou o sonho sempre adiado de estudar piano no Hot Clube de Portugal. Ainda por lá anda.

Mario Cunha

Mário Cunha nasceu em Lisboa, em 1971. Estudou Ciências Musicais e foi músico profissional, mas depressa divergiu para a escrita. Jornalista durante dez anos, ainda experimentou o sonho de ser livreiro no Alentejo, mas não demorou a perceber que há sonhos que só são bons enquanto não se realizam. Não esmoreceu e substituiu-os por outros. Estudou Argumento com Christopher Vogler, Robert Mckee, Guy Meredith, Pilar Alessandra e Jorge Paixão da Costa, entre outros, tendo-se estabelecido como argumentista, profissão que exerce regularmente desde 2005. É autor ou coautor de duas dezenas de projetos de ficção audiovisual produzidos em Portugal e transmitidos nas três grandes estações nacionais. Escreveu séries e telenovelas, publicidade, duas peças de teatro levadas a cena e publicou um romance e três livros juvenis, além de pequenas ficções em revistas literárias e artigos musicológicos. Atualmente mantém uma colaboração com a Ukbar Filmes enquanto coordenador de argumento e, ao mesmo tempo, desenvolve projetos próprios de ficção e ensina Guionismo na World Academy. Enquanto argumentista, venceu alguns prémios nacionais e internacionais: em 2010, foi co-autor e coordenador de argumento da série “Cidade Despida”, vencedora do International Film and Tv Festival, em Moscovo, na categoria de Best Detective Television Series; em 2011 recebeu um Emmy na categoria de Melhor Telenovela, enquanto co-autor de “Laços de Sangue”; em 2016 adaptou para Portugal a série “Terapia”, a qual venceu o prémio Melhor Programa de Ficção da Sociedade Portuguesa de Autores no ano seguinte. Nunca esqueceu a música e há dois anos reencontrou o sonho sempre adiado de estudar piano no Hot Clube de Portugal. Ainda por lá anda.

FILMOGRAFIA

Rainha das Flores

Dancin'Days

Os Nosso Dias

Terapia

Laços de Sangue

Cidade Despida

Perfeito Coração

Conta-me Como Foi - 6ª Temporada

Sol de Inverno